Páginas

02 janeiro 2014

A INFLUÊNCIA REAL NA MODA: RAINHAS E PRINCESAS SÃO OS NOVOS ÍCONES DE ESTILO

De Alexander McQueen a Dolce & Gabbana, Sylvain Justum explica essa moda

A atriz CateBlanchett, como a rainha inglesa, no filme Elizabeth (1998) - Foto: reprodução/ Harper's Bazaar
A atriz Cate Blanchett, como a rainha inglesa, no filme Elizabeth (1998) – Foto: reprodução/ Harper’s Bazaar
Por Sylvain Justum
Se dizem que a moda é feita para sonhar, não existe tendência mais adequada a esse fim do que as diferentes leituras dos trajes de princesa que pintaram nas coleções de inverno 2014 de prêt-à-porter e de alta-costura. A tradução do fairy tale para a vida real contempla mulheres de personalidades distintas, da maximalista decorada à jovem que prefere linhas simples, comprimentos diminutos e aplicações mais discretas.
Rami Al Ali, inverno 2014 - Foto: reprodução/ Harper's Bazaar
Rami Al Ali, inverno 2014 – Foto: reprodução/ Harper’s Bazaar
Do quase figurino da Alexander McQueen ao veludo bordado de Alberta Ferretti, passando pela realeza de cunho religioso da Dolce & Gabbana e a Mulher de Brinco de Pérola da Valentino – a coleção de Maria Grazia Chiuri e Pierpaolo Piccioli foi inspirada no célebre quadro do holandês Johannes Vermeer –, escolha a donzela que você quer ser nas festas do século 21. Sarah Burton fez um desfile enxuto para aMcQueen, de apenas dez looks. Também, pudera, os trajes – e não é absurdo chamá-los assim, tamanha a complexidade de construção –, repletos de camadas rendadas, pele e pérolas, demoraram duas semanas cada um para ficarem prontos.
Da esquerda para a direita Ulyana Sergeenko, Alberta Ferretti e Georges Hobeika, todos inverno 2014 - Foto: reprodução/ Harper's Bazaar
Da esquerda para a direita Ulyana Sergeenko, Alberta Ferretti e Georges Hobeika, todos inverno 2014 – Foto: reprodução/ Harper’s Bazaar
Com elementos ligados ao catolicismo, poderiam ter vestido a atriz Cate Blanchett no filme Elizabeth (1998), no qual ela interpreta a rainha inglesa do século 16. Apesar de ricos e belos, fica difícil imaginá-los batendo perna pelas ruas atuais, salvo em algum red carpet, vestido por mulheres com um pé no excêntrico, como a russa Ulyana Sergeenko, por exemplo. Ela, que é de-signer de alta-costura e apresenta suas coleções em Paris, também é figura fácil nas galerias de streetstyle, nas quais chama a atenção pelas produções volumosas, homenagem que faz à terra natal. As roupas que cria seguem a mesma pegada e fazem referência a contos de fada do folclore local. Tem coragem? Se não, tudo bem, existem alternativas mais pé no chão, mas nem por isso menos requintadas, na própria alta-costura.
Alexander McQueen, inverno 2014 - Foto: reprodução/ Harper's Bazaar
Alexander McQueen, inverno 2014 – Foto: reprodução/ Harper’s Bazaar
O libanês Georges Hobeika e o sírio Rami Al Ali sobem a barra de seus vestidos, rejuvenescendo, assim, propostas superladylike, de cintura marcada e saias evasês, fiéis à silhueta fit & flare do momento. Mais versáteis, encantam pelo delicado trabalho de brilhos e pedrarias bordadas, e podem frequentar um leque maior de pistas.
Dolce & Gabbana, inverno 2014 - Foto: reprodução/ Harper's Bazaar
Dolce & Gabbana, inverno 2014 – Foto: reprodução/ Harper’s Bazaar
Para aliviar a pompa da produção, mantenha a mão leve na beleza e prefira acessórios clássicos e discretos. A não ser que a opção seja encarnar a princesa contemporânea que imaginam Stefano Gabbana e Domenico Dolce, para a qual uma coroa dourada e brincos exagerados fazem bom contraponto aos vestidos curtinhos. Mais uma vez, há uma ligação direta entre realeza e religião. É a imagem de princesa moderna mais fresca da temporada ready-to-wear, junto ao recato extremamente chique da Valentino.
Valentino, inverno 2014 - Foto: reprodução/ Harper's Bazaar
Valentino, inverno 2014 – Foto: reprodução/ Harper’s Bazaar
E como não incluir o ícone Oscar de la Renta na lista de fornecedores de sonhos para rainhas fãs do glamour à moda antiga e que têm como objetivo manter-se femininas para desfilar de braços dados com monarcas da mais alta casta? A coleção que chega às lojas celebra 50 anos de métier de Oscar e tem dedo de John Galliano, outro expert no assunto.

Postar um comentário